sexta-feira, 26 de março de 2010

A Rádio Peão tem mesmo um poder e tanto


Fonte: Sérgio Santiago.

Mesmo que pequenininha, toda empresa lida com as problemáticas conversas de corredor. Seja no café, num intervalozinho ou no bar depois do expediente, diversos assuntos são constantemente debatidos entre membros de uma organização. Mas o que nem todas empresas percebem é que a Rádio Peão – apelido um tanto pejorativo que designa esse fenômeno – pode influenciar, e muito, no comportamento e até no desempenho de uma equipe.

É impressionante como o negócio funciona. Mesmo com reuniões, jornais e house organs dando a declaração oficial, alguém sempre é fonte confiável de informação de bastidores. Os líderes sabem disso, mas nem sempre dão a devida importância a esse aspecto do cotidiano empresarial.

Num mundo globalizado, em que as mídias sociais prometem revolucionar a comunicação, assim como aconteceu com o surgimento da internet, é preciso atenção. Mas alguém pode perguntar: que mal pode haver nisso? São apenas comentários. Ora, todos sabem que o ser humano vive organizadamente dentro de um sistema em que a comunicação é indispensável. E as opiniões são formadas a partir de percepções. Vai que um integrante influente da Rádio Peão tenha mais credibilidade do que a informação formal, aquela que vem editada, do jeito que o chefe quer que seja disseminada! Aí se tem um problema.

Todos seguem determinados tipos de regras, adotam valores e compartilham informações. Se no ambiente organizacional, algumas informações não podem ser compartilhadas, por serem estratégicas, é bom mesmo que elas fiquem bem guardadas. Mas a falta de uma comunicação bem estruturada, que não deixe margens de dúvidas, pode gerar as especulações e distorções. O resultado pode ser catastrófico.

Todos que trabalham ou já trabalharam em empresas sabem, por experiência própria, que não há como erradicar essa informalidade. Mas se os líderes demonstrarem mais confiança em seus liderados, informando-os transparentemente, certamente a imagem e a credibilidade da empresa serão sempre reforçadas. Um colaborador só vai vestir a camisa de sua empresa se acreditar nela.

Um comentário:

  1. Muito bom o texto. Reflete mesmo o que acontece dentro das empresas hoje em dia. Parabens ao sergio

    ResponderExcluir